Nº de acessos

quarta-feira, 17 de junho de 2015

Mãe é presa suspeita de espancar filho de sete anos


A mãe de um menino de sete anos foi presa nessa terça-feira (16), suspeita de espancar o filho com um fio de aço, em Campina Grande. De acordo com a polícia, a vítima chegou a sangrar por acusa dos ferimentos. Em outro caso, um adolescente de 15 anos foi detido, suspeito de espancar o enteado de quatro anos com um chicote; veja abaixo.

Ao receber a denúncia do Conselho Tutelar, os investigadores da Delegacia de Repressão a Crimes contra a Infância e Juventude (DRCCIJ) foram até a casa da mãe da criança para conduzi-la à unidade policial.

O caso aconteceu no bairro da Liberdade, na Zona Sul, e de acordo com a delegada Alba Tânia, a mulher, de 25 anos de idade, prestou depoimento e foi liberada após pagar fiança, direito estabelecido em lei. Alba informou ainda que a Polícia Civil está acompanhando o caso.

Outro caso

Já na noite de segunda-feira, policiais civis da Delegacia da Infância e Juventude (DIJ) apreenderam um adolescente de 15 anos suspeito de espancar o enteado, de apenas quatro anos, com um chicote. “As marcas nas costas do menino estão visíveis. Foi um ato de violência flagrante e totalmente desnecessário”, disse a delegada Nercília Dantas, titular da delegacia.

O adolescente que agrediu a criança é companheiro da mãe do menino agredido, uma mulher de 26 anos de idade. O suspeito foi encaminhado ao Ministério Público, que determinou sua internação em abrigo provisório para menores. A apreensão também teve início após denúncias do Conselho Tutelar.

Segundo a delegada Nercília, a mulher também vai ser investigada por negligência e maus tratos, pois além do menino vítima de violência ainda tem outros quatro filhos que deixava sob os cuidados do adolescente de 15 anos. Ela ainda pode responder por estupro de vulnerável, pelo fato de manter com ele relacionamento desde que o adolescente tinha 12 anos.

Atendimento

A Delegacia da Infância e Juventude (DIJ) trata de casos em que os menores de idade são apontados como os autores das infrações. Já a Delegacia de Repressão a Crimes contra a Infância e Juventude apura as denúncias em que crianças e adolescentes são as vítimas da violência.

Nenhum comentário: