Nº de acessos

domingo, 12 de julho de 2015

Nova unidade prisional é inaugurada em Santa Cruz do Capibaribe











Na manhã desta sexta-feira (10), a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco (SJDH) inaugurou a nova unidade prisional do município de Santa Cruz do Capibaribe, agreste de Pernambuco. A cerimônia contou com presença do secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico, da juíza Orleide Nascimento, do Prefeito Edson Vieira e do diretor da unidade, Phelipe Melo, entre outras autoridades políticas, jurídicas e religiosas.

Segundo a juíza da 3ª Vara de Execução Penal de Pernambuco, Orleide Nascimento, a unidade prisional de Santa Cruz do Capibaribe representa um novo modelo de ressocialização do apenado. “Embora a sociedade clame pelo encarceramento, este sistema não tem sido suficiente para conter o aumento dos índices de criminalidade no estado. Por isso, a ressocialização é o único método que tem modificado esta realidade”, explicou a juíza. A reeducação social proposta pelo sistema prisional do estado, permitem ao indivíduo tornar-se útil a si mesmo, à sua família e a sociedade.

De acordo com a Lei de Execução Penal, é direito de todos os cidadãos, ainda que tenha cometido algum delito, serem tratados com dignidade e respeito. Nesse sentido cresce a importância da adoção de políticas que efetivamente promovam a recuperação do detento no convívio social. “Santa Cruz do Capibaribe é um polo industrial de proporção nacional e o preso precisa de trabalho. Então, eu creio que o município com toda a sua vocação empreendedora, dará uma oportunidade de trabalho ao apenado dentro desta unidade”, ressaltou a juíza Orleide.

Para o Prefeito Edson Vieira, o trabalho que será desenvolvido na unidade prisional do município, contribuirá para o resgate da dignidade humana dos apenados. “Não tenho dúvidas que esta unidade fará a diferença na vida dos reeducandos e consequentemente na vida de seus familiares. Os métodos de ressocialização implantados, dará ao apenado de Santa Cruz do Capibaribe, a oportunidade de retornar com dignidade ao seio da família e da sociedade civil organizada,” ressaltou o prefeito. A atual ordem jurídica dar ao preso o direito de ser transferido para seu local de origem, visando a indispensável assistência de seus familiares.

Durante o seu pronunciamento, o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico, afirmou que não superlotaria a recém inaugurada unidade prisional “Nós estamos trabalhando para que esta unidade seja referência no estado. Portanto, a população local não precisa se preocupar com a superlotação,” destacou o secretário. Além das oficinas de padaria e cozinha, a unidade contará ainda com duas salas de aula. “Entre as várias atividades desenvolvidas com os internos, a mais importante delas será promovida pela escola. Pois, será a escola que disseminará o conhecimento e irá colaborar para o crescimento sociocultural dos reeducados,” frisou Pedro Eurico.

Com capacidade para 186 reeducandos, a unidade prisional também contribuirá para o fortalecimento da indústria têxtil na região. “Estamos firmando convênios para que uma fábrica de jeans seja implantada dentro desta unidade prisional”, planeja o diretor Phelipe Melo. Por medidas de segurança, a data prevista para chegada dos primeiros apenados não foi divulgada.

Informações Assessoria 

Nenhum comentário: