Nº de acessos

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Laudo confirma que idos morreu vítima de ataque fuminante

A vítima chegou a discutir com o suspeito


A Polícia Civil investiga a morte de uma idosa de 83 anos em Bezerros, no Agreste de Pernambuco. Ela teria morrido após discutir com um funcionário da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) que realizou uma vistoria na casa dela nesta quarta-feira (13), de acordo com a polícia. O desentendimento se deu por conta de uma suposta ligação clandestina de água. O laudo do Instituto de Medicina Legal (IML) de Caruaru aponta que ela teve um infarto fulminante.

A assessoria de imprensa da Compesa informou que "o empregado afirmou que havia tratado aquela senhora com todo o respeito e que não tinha havido qualquer tipo de desentendimento com a mesma. Diante do exposto, a Compesa reafirma a sua confiança no seu funcionário, que trabalha há 35 anos na empresa, onde conquistou o respeito dos colegas de trabalho pela sua conduta ilibada e de bom relacionamento com os clientes. A Compesa se solidariza com a família da idosa e se coloca à disposição das autoridades competentes para prestar todos os esclarecimentos necessários".

A nora da aposentada, Laiana Alves da Silva, de 25 anos, disse ao G1 que o funcionário abordou a mulher sobre o abastecimento da casa e discutiu com ela. A recepcionista afirmou que o homem teria entrado no imóvel sem permissão da família.


"Ele disse que estava fazendo uma vistoria pela Compesa. Perguntou se tinha água encanada. Ela respondeu que não, então ele entrou sem permissão na casa. Foi até a cozinha, abriu a torneira e viu que tinha água. Só que ela não tem água da Compesa há dez anos e a água que tem na torneira vem do tanque que tem na casa da filha dela. Ele acusou a minha sogra de estar roubando água", contou Laiana.
A recepcionista disse que a aposentada tentou chamar a filha para explicar a situação. "Enquanto ela tentava chamar a filha para dizer que tinha o tanque, ele estava com o papel da multa. A minha sogra ficou nervosa, caiu e bateu a cabeça no chão. Ele viu que ela estava caída e não prestou socorro. Ele não teve jeito para falar com uma idosa de 83 anos", disse Laiana Alves. Em seguida, ela falou que parentes da aposentada souberam da situação e tentaram agredir o homem, mas ele conseguiu fugir.
A família tentou socorrer a aposentada, mas ela não resistiu. No IML de Caruaru, o laudo constatou que ela teve um infarto fulminante. Parentes registraram o caso na Delegacia de Bezerros. Ao G1, a Polícia Civil informou que investiga o caso. De acordo com a polícia, o funcionário foi identificado, prestou esclarecimento e disse que foi até a casa, mas não agrediu a idosa.

Nenhum comentário: